© 2015 por PAUL SETÚBAL.

Novíssimos 2012, Rio de Janeiro.

 

Os trabalhos de Paul Setúbal são parte da sua pesquisa em desenho na qual alia texto e imagem em torno de proposições políticas e sociais. Na apresentação de imagens fragmentadas, o artista visa à construção de um elemento paisagístico. O próprio texto, que, em séries mais antigas, aparecia com grande legibilidade, em letras moduladas e em estrutura rígida, agora, aparece como parte da formação fluida das imagens, mas sem deixar de questionar a própria imagem. Os resquícios de figuras, que reconhecemos por suas características formais básicas, nos trazem algo à memória, porém, pelo seu relevante e característico grau de abstração, nos encontramos em muitas lacunas. O que vemos, nesses trabalhos, é fruto de inquietações da sociedade e da vida contemporânea, que visam evidenciar, assim, que as causas políticas e sociais são cíclicas. Em um paralelo imagético de épocas diversas (como a aproximação entre desenhos de Debret da escravidão no Brasil, imagens de torturas medievais e páginas de jornais contemporâneos) o artista intenciona a percepção de que violência, escravidão, tortura e abusos apenas assumem formas diferentes em épocas diferentes.

 

Bernardo Mosqueira
Curador independente e crítico de arte
Rio de Janeiro, 2012